Perguntas Mais Frequentes (FAQ)

O que Krishna-Dairyian significa?

O termo foi cunhado por Priyavrata das por volta de 1998 e significa simplesmente consumir laticínios de vacas protegidas e não abusadas. Normalmente, seriam vacas protegidas em uma fazenda da ISKCON.


Você está defendendo que todos os membros da ISKCON se tornem veganos?

Não, mas a menos que você possa obter leite de uma vaca protegida, você deve se abster de todos os laticínios.


O Krishna-milkianism é genuíno?

Sim, de fato, ser um leiteiro de Krishna é um padrão mais elevado de devoção, como Srila Prabhupada defendeu e Krishna afirma claramente no Bhagavad-gita que apenas o alimento mais puro deve ser oferecido em devoção a Krishna.


O que oferecemos a Krishna se não houver leite ahimsa?

É importante entender que Krishna pede nossa devoção e a maneira como podemos expressá-la é oferecendo a Ele alimentos sáttvicos (puros) em devoção. No Bhagavad-gita, há apenas um versículo onde Krishna define o que deve ser oferecido (uma folha, flor, fruta ou água) e Ele não menciona o leite. Embora o leite ahimsa seja certamente sáttvico, é interessante notar que Krishna não o menciona neste versículo, dando crédito ao fato de que o leite não é absolutamente necessário nas ofertas a Ele. Você também deve ter em mente que Krishna é, por natureza, totalmente satisfeito e não exige nada de nós. Então, por que oferecer um produto contaminado a Ele?


Prabhupada disse que precisamos de leite para avançar

Quando Prabhupada fez esta declaração, ele estava se referindo especificamente às vacas nas fazendas da ISKCON, onde o leite é sattvico (puro) e não contaminado.


Não podemos purificar o leite oferecendo-o a Krishna?

Prabhupada dá o exemplo do sol, ele pode purificar até mesmo um lugar sujo. Da mesma forma, o Senhor pode purificar algo que é impuro, no entanto, o Senhor também diz que se deve oferecer alimentos a Ele em devoção que são sattvico (puro).


O leite não é sempre puro?

Prabhupada disse em muitas ocasiões que o leite pode se tornar venenoso se tocado pelos lábios de uma serpente. Essa metáfora não se aplica apenas a não-devotos que falam sobre as escrituras, ela também pode ser interpretada literalmente. Em outras palavras, o leite ficará impuro se um contaminante for adicionado a ele. O leite comercial contém pus, sangue, detergente, uréia, hormônios, antibióticos, junto com os ingredientes mais sutis de medo, raiva e tristeza. Com base nesses fatos, é absurdo considerar laticínios comerciais sattvico.


Mas Prabhupada bebeu leite enriquecido com vitamina D de óleo de peixe?

Em primeiro lugar, não há nenhuma evidência documentada dele dizendo que esse leite era aceitável. É boato. Em qualquer caso, essa história aparentemente aconteceu por volta de 1969, no entanto, naquele mesmo ano Prabhupada escreveu a seu discípulo Krishna Das:

“Em relação à compra de coisas no mercado, esses itens são considerados purificados quando pagamos o preço por eles. Essa é a instrução geral, mas QUANDO SABEMOS QUE ALGO ESTÁ ADULTERADO, devemos evitá-lo. Mas, sem saber, se algo é comprado, não é nossa culpa. Coisas que são suspeitas, no entanto, devem ser evitadas. ” - Srila Prabhupada, 25 de dezembro de 1969

É minha opinião que ele pode ter ouvido falar de uma determinada marca de leite sendo adulterada após o fato, e como ele a comprou sem saber disso, ele a considerou aceitável. Porém, ele deixa claro na carta acima, uma vez que você saiba que algo está adulterado, deve-se evitar.